Cirurgia íntima

Vivemos numa época em que o mundo fala mais abertamente sobre sexualidade e, sobretudo, a sexualidade feminina tem uma expressão e importância que não tinha noutros tempos e/ou culturas. Muitas mulheres sabem que, se estiverem insatisfeitas com a forma da sua vulva ou relaxamento do canal vaginal, existem técnicas de cirurgia plástica que podem ajudar a que se sintam muito mais confortáveis na sua intimidade.

Os genitais externos femininos consistem na vulva e clitóris. Na vulva, as zonas anatómicas mais importantes para uma uma estética vaginal agradável são os pequenos e grandes lábios. O intróito vaginal corresponde à entrada da vagina, podendo ser apertado, tal como o canal vaginal. O clitóris, em casos muito específicos, pode ser aumentado ou diminuído.

A queixa mais comum é a proeminência dos pequenos lábios, particularmente nas mulheres que já foram mães, ou jovens que praticam desporto com grande contato da zona com superfícies duras, por exemplo, no ciclismo e equitação. De uma forma geral, os pequenos lábios não devem ultrapassar os limites dos grandes lábios. Quando os pequenos lábios são muito grandes, além de ser inestético, interfere com a higiene e causa desconforto durante as relações sexuais, exercício físico ou uso de biquinis ou roupa justa. Os grandes lábios podem ser reduzidos ou aumentados. As cirurgias podem ser efetuadas sob anestesia local ou anestesia local com sedação, dependendo dos casos. No pós-operatório é fundamental a aplicação de gelo localmente, pomada antibiótica e abstinência sexual durante 30 dias.

Uma cirurgia íntima pode devolver o conforto e a confiança à mulher. Sobre os efeitos positivos de uma cirurgia íntima pós-parto, ver artigo aqui. Embora seja dedicado à mães, o seu conteúdo pode ser aplicado a qualquer mulher.